Showing all 16 results

  • As Cronicas de Narnia – C. S. Lewis

    Viagens ao fim do mundo, criaturas fantásticas e batalhas épicas entre o bem e o mal – o que mais um leitor poderia querer de um livro? O livro que tem tudo isso é ‘O leão, a feiticeira e o guarda-roupa’, escrito em 1949 por Clive Staples Lewis. MasLewis não parou por aí. Seis outros livros vieram depois e, juntos, ficaram conhecidos como ‘As crônicas de Nárnia’. Nos últimos cinqüenta anos, ‘As crônicas de Nárnia’ transcenderam o gênero da fantasia para se tornar parte do cânone da literaturaclássica. Cada um dos sete livros é uma obra-prima, atraindo o leitor para um mundo em que a magia encontra a realidade, e o resultado é um mundo ficcional que tem fascinado gerações. Esta edição apresenta todas as sete crônicas integralmente, num único volume. Os livros são apresentados de acordo com a ordem de preferência de Lewis, cada capítulo com uma ilustração do artista original, Pauline Baynes. Enganosamente simples e direta, ‘As crônicas de Nárnia’ continuam cativando os leitores com aventuras, personagens e fatos que falam a pessoas de todas as idades.

  • Cem Anos de Solidão – Gabriel García Márquez

    “Cem Anos de Solidão” é uma obra-prima do escritor colombiano Gabriel García Márquez, publicada pela primeira vez em 1967. Este romance é um dos maiores expoentes do realismo mágico e narra a história da família Buendía ao longo de sete gerações na fictícia cidade de Macondo. Através de uma narrativa rica e envolvente, García Márquez explora temas como solidãoamorpoder e destino. A saga dos Buendía é marcada por eventos extraordinários e personagens memoráveis, como o patriarca José Arcadio Buendía e a matriarca Úrsula Iguarán. A obra é uma reflexão profunda sobre a condição humana e a inevitabilidade do tempo, e é considerada uma das mais importantes da literatura latino-americana. “Cem Anos de Solidão” é essencial para quem deseja mergulhar em uma narrativa complexa e fascinante, repleta de simbolismo e beleza literária.

  • Comentário expositivo de 2 Corintios – Hernandes Dias Lopes

    Mergulhe nas profundezas da correspondência de Paulo com a igreja de Corinto com o Comentário Expositivo de 2 Coríntios de Hernandes Dias Lopes. Este comentário oferece uma análise detalhada e prática das lutas e triunfos da igreja de Corinto, explorando temas como o sofrimento apostólico, a natureza do ministério cristão e a reconciliação com Deus. Hernandes Dias Lopes proporciona uma interpretação acessível e relevante, com insights teológicos profundos e aplicações que transformam vidas, tornando esta obra uma ferramenta indispensável para pastores, líderes e qualquer pessoa interessada em aplicar as verdades de 2 Coríntios em sua jornada espiritual.

  • Comentário expositivo de genesis – Hernandes Dias Lopes

    “No princípio, Deus criou os céus e a terra” (Gênesis 1:1). Este versículo inaugural não apenas abre o livro de Gênesis, mas também estabelece o fundamento da fé judaico-cristã. A narrativa da criação não é apenas uma exposição dos atos divinos, mas um poderoso lembrete da majestade e soberania de Deus. Hernandes Dias Lopes explora este versículo, destacando a onipotência de Deus e a perfeição de Sua criação. Ele nos lembra que a criação é um testemunho da glória de Deus, uma revelação de Sua bondade e sabedoria. Lopes argumenta que compreender a narrativa da criação é crucial para uma compreensão completa da natureza de Deus e do propósito da humanidade. Este versículo, segundo Lopes, não é apenas um registro histórico, mas um convite para reconhecer Deus como o Criador soberano e para viver em reverência a Ele.

    À medida que avançamos nos capítulos de Gênesis, encontramos figuras como Adão e Eva, Noé, Abraão, Isaque, Jacó e José. Cada história revela aspectos profundos do caráter humano e da intervenção divina. Lopes nos guia através dessas narrativas com uma abordagem que equilibra exegese teológica e aplicação prática. Ele destaca como as promessas e os pactos feitos com os patriarcas são centrais para a narrativa bíblica e para o plano redentor de Deus. Este comentário não só ilumina o texto, mas também oferece uma reflexão profunda sobre como esses eventos antigos moldam nossa fé e nossa visão de Deus.

    Em Gênesis 12, encontramos o chamado de Abraão: “Ora, disse o Senhor a Abrão: Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, e vai para a terra que te mostrarei” (Gênesis 12:1). Hernandes Dias Lopes destaca a obediência de Abraão como um exemplo de fé que transcende o entendimento humano. Ele argumenta que a fé de Abraão é um modelo para todos os crentes, mostrando que confiar em Deus muitas vezes requer deixar para trás o conhecido e seguir um caminho que parece incerto, mas que está firmemente nas mãos de Deus.

    Hernandes Dias Lopes também aborda as complexidades das relações humanas e as consequências do pecado que são evidentes em Gênesis. Ele comenta sobre a queda no Éden, o conflito entre Caim e Abel, e a corrupção antes do dilúvio, sempre destacando a misericórdia e a justiça de Deus em meio ao julgamento. Lopes enfatiza que esses relatos não são apenas histórias antigas, mas lições eternas sobre a natureza do pecado, a necessidade de redenção, e a graça de Deus.

  • Comentário expositivo de Joel – Hernandes Dias Lopes

    Descubra a mensagem profunda e profética de Joel com o Comentário Expositivo de Joel de Hernandes Dias Lopes. Este comentário oferece uma análise esclarecedora das profecias de Joel sobre arrependimento, juízo, e restauração, destacando temas como o Dia do Senhor, a ação do Espírito Santo e a renovação da aliança. Hernandes Dias Lopes conduz o leitor através das advertências e promessas de Joel com insights teológicos ricos e aplicações práticas, tornando-o um recurso valioso para pastores, líderes e todos que desejam entender melhor o impacto duradouro das profecias de Joel em sua fé e vida.

  • Comentário expositivo de Miqueias – Hernandes Dias Lopes

    Descubra as mensagens poderosas do profeta Miqueias com o Comentário Expositivo de Miqueias de Hernandes Dias Lopes. Este comentário oferece uma análise profunda e clara das advertências, promessas e visões proféticas contidas no livro de Miqueias. Hernandes Dias Lopes destaca temas centrais como justiça, misericórdia, e esperança messiânica, conectando as mensagens antigas à vida moderna e aos desafios contemporâneos. Com insights teológicos ricos e aplicações práticas, este comentário é uma leitura essencial para estudiosos, líderes e todos que buscam compreender a relevância das profecias de Miqueias hoje.

  • Comentário expositivo de Provérbios – Hernandes Dias Lopes

    O “Comentário Expositivo de Provérbios” é uma obra abrangente que mergulha profundamente nos ensinamentos do livro bíblico de Provérbios. O autor, Hernandes Dias Lopes, é um renomado teólogo e professor, conhecido por sua capacidade de apresentar as Escrituras de forma acessível e relevante para a vida moderna.

     

    Neste comentário, Lopes analisa cada capítulo e versículo de Provérbios, explorando os temas centrais como sabedoria, justiça, relacionamentos, disciplina, trabalho, riqueza e piedade. Ele contextualiza os provérbios dentro da história e cultura do Antigo Testamento, e também demonstra como esses princípios sábios se aplicam às situações e desafios enfrentados pelos leitores contemporâneos.

     

    Ao longo do livro, o autor oferece insights profundos, ilustrações práticas e aplicações espirituais, capacitando os leitores a entender e aplicar a sabedoria atemporal de Provérbios em suas vidas diárias. O comentário é reconhecido por sua abordagem equilibrada entre exegese bíblica rigorosa e relevância pastoral, tornando-o uma ferramenta valiosa para pastores, líderes, estudantes da Bíblia e todos os que buscam crescer em sabedoria e piedade.

  • Comentário expositivo de Tito e Filemom – Hernandes Dias Lopes

    Explore a profundidade das epístolas pastorais com o Comentário Expositivo de Tito e Filemom de Hernandes Dias Lopes. Este comentário oferece uma análise clara e inspiradora das cartas de Paulo, destacando temas como liderança eclesiástica, a graça transformadora, e a reconciliação cristã. Hernandes Dias Lopes proporciona insights teológicos profundos e aplicações práticas, tornando-o um recurso indispensável para pastores, líderes e todos que buscam aplicar os princípios de Tito e Filemom em sua vida e ministério. Com clareza e profundidade, este comentário ilumina a mensagem das epístolas e sua relevância para a igreja contemporânea.

  • Comentário expositivo do evangelho de João – Hernandes Dias Lopes

    Mergulhe na profundidade da mensagem de Jesus com o Comentário Expositivo do Evangelho de João de Hernandes Dias Lopes. Este comentário oferece uma análise clara e profunda das revelações de Cristo, destacando temas como a divindade de Jesus, os sinais miraculosos e os discursos que revelam Seu propósito e missão. Hernandes Dias Lopes conduz o leitor através do Evangelho de João com insights teológicos ricos e aplicações práticas, tornando-o um recurso essencial para estudiosos, pregadores e todos que desejam compreender melhor o significado transformador das palavras de Jesus conforme narrado por João. Descubra a beleza e a profundidade do quarto evangelho com este guia indispensável.

  • Comentário expositivo do evangelho de Marcos – Hernandes Dias Lopes

    Descubra os detalhes do ministério de Jesus com o Comentário Expositivo do Evangelho de Marcos de Hernandes Dias Lopes. Este comentário explora os ensinamentos e milagres de Jesus de maneira clara e profunda, apresentando uma análise detalhada do Evangelho de Marcos. Hernandes Dias Lopes oferece uma interpretação rica e acessível, que conecta os eventos da vida de Cristo às necessidades e desafios do mundo moderno. Com insights teológicos e aplicações práticas, este livro é essencial para quem deseja uma compreensão mais profunda e inspiradora do ministério de Jesus conforme narrado por Marcos.

  • Comentário expositivo do evangelho de Mateus – Hernandes Dias Lopes

    Descubra o coração do ensino de Jesus com o Comentário Expositivo do Evangelho de Mateus de Hernandes Dias Lopes. Este comentário oferece uma análise abrangente e profunda das palavras e ações de Cristo conforme narrado no Evangelho de Mateus. Hernandes Dias Lopes explora os temas centrais como o Sermão do Monte, as parábolas do Reino e a Grande Comissão, com insights teológicos e aplicações práticas que tornam a obra essencial para estudiosos, pregadores e todos que buscam compreender melhor os ensinamentos de Jesus. Envolvente e esclarecedor, este comentário revela a mensagem transformadora do primeiro evangelho.

  • E o Vento Levou – Margaret Mitchell

    Apresentando um Trecho do Livro

    “Scarlett O’Hara não era bonita, mas homens raramente percebiam isso quando capturados por seu charme, como os gêmeos Tarleton estavam. No vasto hall de entrada da casa de Tara, ela estava sentada com Stuart e Brent Tarleton, seus rostos sardentos brilhando de entusiasmo, enquanto ela os provocava com seu riso musical.

    — Não posso acreditar que vocês dois estejam indo para a guerra — disse Scarlett, inclinando-se para frente e olhando-os com seus olhos verdes brilhantes. — Vocês são tão jovens!

    — Jovens ou não, estamos indo — disse Stuart, endireitando-se com orgulho. — E vamos lutar pelos direitos dos estados!

    — Sim, e vamos mostrar aos ianques do que somos feitos — acrescentou Brent, com um sorriso travesso.

    Scarlett riu, mas havia uma sombra de preocupação em seus olhos. Ela sabia que a guerra estava chegando, e isso significava mudanças. Ela não gostava de mudanças. Gostava de sua vida como era, com festas, bailes e a atenção constante dos homens.

    — Vocês dois são tolos — disse ela, balançando a cabeça. — A guerra não é uma brincadeira.

    — Não, não é — concordou Stuart, seu rosto ficando sério. — Mas é algo que temos que fazer. Não podemos deixar que os ianques nos digam o que fazer.

    Scarlett suspirou. Ela sabia que eles estavam certos, mas isso não tornava as coisas mais fáceis. Ela olhou para fora da janela, para os campos verdes de Tara, e sentiu uma pontada de medo. O que aconteceria com sua casa, com sua família, com sua vida?

    — Bem, se vocês têm que ir, então vão — disse ela finalmente, com um sorriso forçado. — Mas voltem para mim, ouviram?

    — Voltaremos — prometeram os gêmeos, levantando-se e inclinando-se para beijar suas mãos. — Voltaremos para você, Scarlett.

    Enquanto eles se afastavam, Scarlett ficou olhando para eles, seu coração pesado. Ela sabia que a guerra mudaria tudo, mas não tinha ideia de quanto. E, no fundo, ela temia que nada jamais voltasse a ser o mesmo.”

  • Orgulho e Preconceito – Jane Austen

    “É uma verdade universalmente reconhecida que um homem solteiro em posse de uma boa fortuna deve estar necessitado de uma esposa. Por mais pouco conhecidos que sejam os sentimentos ou as opiniões de tal homem ao entrar em uma vizinhança, esta verdade está tão bem fixada nas mentes das famílias ao redor, que ele é considerado como propriedade legítima de uma ou outra de suas filhas.

    — Meu caro Mr. Bennet — disse-lhe um dia sua senhora —, você ouviu que Netherfield Park foi finalmente alugado?

    Mr. Bennet respondeu que não.

    — Pois foi — replicou ela —, e pelo que ouvi dizer, é um jovem muito rico do norte da Inglaterra; diz-se que veio na segunda-feira em uma carruagem de quatro cavalos para ver o lugar, e ficou tão encantado que imediatamente fez um acordo com Mr. Morris; deve tomar posse antes de São Miguel, e alguns de seus criados estarão na casa até o final da próxima semana.

    — Como se chama?

    — Bingley.

    — É casado ou solteiro?

    — Oh! Solteiro, minha cara, com certeza! Um homem solteiro de grande fortuna; quatro ou cinco mil por ano. Que coisa boa para nossas meninas!

    — Como assim? Como isso pode afetá-las?

    — Meu caro Mr. Bennet — respondeu sua esposa —, como pode ser tão cansativo! Você deve saber que estou pensando em casá-lo com uma delas.

    — É esse o seu desígnio ao longo de todo o tempo?

    — Desígnio! Que absurdo! Mas é muito provável que ele se apaixone por uma delas, e portanto você deve visitá-lo assim que ele chegar.

    — Não vejo necessidade disso. Você e as meninas podem ir, ou podem mandar-lhes uma carta, o que será mais apropriado, pois você é tão bonita quanto qualquer uma delas, Mr. Bingley pode gostar de você melhor do que de qualquer uma das meninas.

    — Meu caro, você me lisonjeia. Tenho minha cota de beleza, mas não pretendo considerar-me como uma das mais belas. Quando uma mulher tem cinco filhas crescidas, deve desistir de pensar em sua própria beleza.

    — Em tais casos, uma mulher não tem muito de que desistir.

    — Mas, meu caro, você deve realmente ir e ver Mr. Bingley quando ele vier à vizinhança.

    — É mais do que eu posso prometer, eu lhe asseguro.”

  • Os quatro amores – C. S. Lewis

    “Os Quatro Amores” de C. S. Lewis é uma obra clássica que explora os diferentes tipos de amor que moldam nossas vidas: afeto, amizade, eros e caridade. Publicado em 1960, este livro oferece uma análise profunda e acessível sobre como cada forma de amor influencia nossas relações e experiências. Com insights filosóficos e teológicos, Lewis revela a beleza e os desafios de cada tipo de amor. Ideal para quem deseja compreender melhor as complexidades do amor, “Os Quatro Amores” é uma leitura essencial. Encontre “Os Quatro Amores” de C. S. Lewis e mergulhe em uma jornada de autoconhecimento e sabedoria emocional.

  • Razão e sensibilidade – Jane Austen

    Apresentando um Trecho do Livro

    “A família Dashwood havia longamente se estabelecido em Sussex. Seu patrimônio era grande, e sua residência, Norland Park, era um lugar onde, por muitas gerações, eles haviam vivido em uma respeitável e confortável condição. O último proprietário, um velho solteirão que viveu até uma idade avançada, foi um homem de caráter amável e generoso, e sua bondade para com os três sobrinhos, filhos de seu irmão, era um forte testemunho de sua afeição fraternal.

    Ao morrer, ele deixou sua fortuna para o filho de seu sobrinho mais velho, o Sr. John Dashwood, que, de acordo com a tradição da família, herdou a propriedade de Norland. Ele não tinha, porém, a intenção de deixar desamparadas as viúvas e filhas de seu irmão, e recomendou ao Sr. John Dashwood, com a maior seriedade, que cuidasse delas e as ajudasse financeiramente.

    — Meu caro John — disse ele —, prometo que você cuidará de suas irmãs e de sua madrasta quando eu me for. Elas não têm outra proteção além de você.

    — Claro, meu tio — respondeu John. — Farei tudo o que puder para ajudá-las.

    Mas, após a morte do velho cavalheiro, a esposa do Sr. John Dashwood, uma mulher egoísta e interesseira, começou a persuadir o marido a reduzir a ajuda prometida às irmãs. Ela argumentou que eles próprios precisariam de todo o dinheiro para manter seu estilo de vida e que as irmãs poderiam viver com muito menos.

    Elinor, a filha mais velha, possuía um excelente coração; sua compreensão era forte, e seu julgamento, maduro. Ela tinha uma capacidade de autocontrole que a capacitava a ocultar suas próprias emoções e a suportar com firmeza as adversidades. Marianne, a segunda filha, era completamente diferente. Ela era sensível e apaixonada, e suas emoções eram sempre visíveis. Ela não conhecia moderação em seus sentimentos e era incapaz de esconder sua alegria ou tristeza.

    As irmãs Dashwood, junto com sua mãe e a irmã mais nova, Margaret, foram forçadas a deixar Norland e se estabelecer em uma pequena casa em Barton Cottage, oferecida por um parente distante. Lá, elas enfrentaram novos desafios e encontraram novos amores, enquanto aprendiam a equilibrar razão e sensibilidade em suas vidas.”

  • Romeu e Julieta – William Shakespeare

    “Dois lares, ambos iguais em dignidade, Na bela Verona, onde se passa a cena, De antiga rixa a nova discórdia incita, E o sangue civil mancha a mão civil. Dos fatídicos rins desses dois inimigos Um par de amantes nasce sob má estrela; Cujo desventura lamentável Com sua morte enterra a luta dos pais. O terrível curso de seu amor fatal, E a contínua ira de seus pais, Que só a morte dos filhos poderia apagar, Agora, o palco de duas horas é a nossa cena; E se com ouvidos pacientes escutardes, O que aqui faltar, nosso esforço suprirá.

    [Cena I: Uma praça pública]

    (Entra SANSÃO e GREGÓRIO, com espadas e escudos, da casa dos Capuletos)

    SANSÃO: Gregório, juro pela minha espada, não vamos aguentar isso.

    GREGÓRIO: Não, pois se aguentarmos, seremos covardes.

    SANSÃO: Eu quero brigar com os Montéquios.

    GREGÓRIO: E eu também. Mas vamos ser inteligentes, não brigar sem motivo.

    (Entra ABRÃO e BALTASAR, da casa dos Montéquios)

    SANSÃO: Meu senhor, aqui vêm dois Montéquios.

    GREGÓRIO: Vamos provocar uma briga.

    SANSÃO: Eu vou morder o polegar para eles; isso é uma desonra, se eles aceitarem.

    ABRÃO: Você está mordendo o polegar para nós, senhor?

    SANSÃO: Estou mordendo o polegar, senhor.

    ABRÃO: Está mordendo o polegar para nós, senhor?

    SANSÃO: (Para Gregório) A lei está do nosso lado se eu disser sim?

    GREGÓRIO: Não.

    SANSÃO: Não, senhor, não estou mordendo o polegar para vocês, mas estou mordendo o polegar.

    GREGÓRIO: Quer brigar, senhor?

    ABRÃO: Brigar, senhor? Não, senhor.

    SANSÃO: Se quiser, estou pronto. Meu senhor, aqui está meu mestre, tão bom quanto o seu.

    ABRÃO: Melhor, senhor.

    SANSÃO: Mentira!

    (Eles lutam. Entra BENVOLIO)

    BENVOLIO: Separai-vos, tolos! Guardai vossas espadas! Não sabeis o que fazeis.”